Dia 16 de Abril – Dia Mundial da Voz

A criação deste dia partiu da iniciativa do Professor Mário Andrea (professor de otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Lisboa) com objetivo de dar visibilidade à voz, alertando para a sua importância e cuidados necessários para a preservar.

A voz faz parte da identidade do indivíduo, através dela consegue-se perceber aspectos da personalidade e estados emocionais, sendo extremamente importante para uma comunicação efetiva.

Em Portugal, um estudo revelou que cerca de 54% dos inquiridos fez referência a pelo menos um sintoma no preenchimento de um inquérito sobre perturbação vocal. Um estudo mais recente concluiu que os profissionais da voz apresentam frequentemente perturbação vocal. Em 2015 foi concluído, através de outro estudo com participantes professores (53,5%) e não professores (46,5%), que 48% apresentaram alterações funcionais o que demonstra uma alta prevalência tanto num grupo como no outro. No entanto, a maior taxa de ocorrência pertence aos professores e pode estar condicionada pelos anos de ensino e esforço vocal.

Face à grande prevalência de perturbações vocais torna-se importante a sua deteção precoce. Para isso são necessárias ações de sensibilização que promovam a prática de intervenção precoce e participação em programas de rastreios.

No dia Mundial da Voz, de forma a prevenir a alertar para a presença de perturbações vocais, centros hospitalares, clínicas e associações promovem rastreios gratuitos e ações de sensibilização da população para os cuidados a ter com a voz, contribuindo assim para a deteção precoce de eventuais problemas.

Cumprindo o objetivo do Dia Mundial da Voz, o Laboratório da Fala disponibiliza informação sobre os cuidados a ter com a voz e os sinais de alerta de perturbação vocal, com o intuito de que venha a ser uma ferramenta útil para quem dela necessite.

Links úteis:

http://www.aptf.org/home

http://www.labfala.pt/

 

Fontes: ASHA. (2016). Assessment Tools, Techniques, and Data Sources. Retrieved from http://www.asha.org/Practice-Portal/Clinical-Topics/Late-Language-Emergence/Assessment-Tools-Techniques-and-Data-Sources/;
Brinca, L., Nogueira, P., Tavares, A. I., Batista, A. P., Gonçalves, I. C., & Moreno, M. L. (2015). The Prevalence of Laryngeal Pathologies in an Academic Population. Journal of Voice, 29(1), 130.e1-130.e9. https://doi.org/10.1016/j.jvoice.2014.04.009;
Cervico-Facial, S.-S. P. de O. e C. (2011). 58o Congresso Nacional da SPORL. Jornal ORL, 1–8. Retrieved from https://www.sporl.pt/Portals/0/Noticias/2011/JornalORL_02-08.pdf ;
Guimarães, I. (2004). Os problemas de voz nos professores : prevalência , causas , efeitos e formas de prevenção. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 22(2), 33–41.